Mais de 75%  da geração mais jovem do setor da Saúde considera que não há uma total igualdade de oportunidades entre homens e mulheres em Portugal, segundo um inquérito feito este ano.

Tanto a maioria dos homens como a maioria das mulheres aponta a falta de igualdade de oportunidades, embora esta perceção tenha um peso diferente consoante o género.

Para 59% dos homens não há oportunidades totalmente iguais entre géneros, uma ideia partilhada por 86% das mulheres.

Estas são conclusões de um inquérito realizado a mulheres e homens até aos 40 anos que trabalham na área da saúde. O estudo, elaborado pela GFK/Metris para o Movimento LIFE - Liderança no Feminino na Saúde, está em fase de conclusão e será apresentado no dia 16 de  maio de 2024 em Lisboa.

O estudo é elaborado com base em 500 inquéritos a homens e mulheres que trabalham na área da saúde em Portugal. As conclusões finais serão apresentadas na conferência Liderança Feminina na Saúde: 50 Anos de Conquistas?”, que acontece no Centro de Congressos de Lisboa e que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República. 

Os dados da realidade global mostram que a área da saúde é predominantemente feminina, com as mulheres a representarem 75% do total da força de trabalho, mas a ocuparem pouco mais de um terço dos lugares de liderança (38%).

Na sessão pública de lançamento do Movimento LIFE, em março de 2023, foram apresentados outros dados sobre a realidade da igualdade de género:

  • Apenas 7% dos CEO das maiores empresas portuguesas são mulheres

  • Só há 21% de mulheres reitoras e presidentes nas instituições do Ensino Superior em Portugal

  • A nível mundial, levaremos 132 anos para alcançar a paridade total entre mulheres e homens 

O Movimento LIFE é uma iniciativa contínua para conduzir a mudanças de comportamentos e ações que contribuam para a igualdade de género e para a paridade na liderança na Saúde.

É uma iniciativa conjunta de Faces de Eva - Estudos sobre a Mulher/CICS.NOVA (NOVA FCSH) e da Roche a que se juntam cerca de 30 embaixadoras.

Mais ações do Movimento podem ser seguidas em