A definição de um plano de fisioterapia para as articulações depende de 3 fatores:

A articulação em que ocorreu a hemorragia As articulações dos joelhos, dos tornozelos e dos cotovelos sofrem hemorragias com maior frequência do que outras zonas do corpo.

O tipo de dano O dano na articulação pode afetar a amplitude do movimento, a capacidade de a articulação se movimentar, a cinestesia, ou uma combinação dos fatores anteriores. A cinestesia consiste na capacidade de o corpo reagir a uma alteração na postura e manter o equilíbrio. Existem diferentes exercícios para cada uma das necessidades mencionadas acima.

A fase da hemorragia Alguns exercícios só podem ser feitos na ausência de uma hemorragia ativa ou recente, ao passo que outros são adequados para a fase de recuperação.

De igual modo, os planos de fisioterapia para os músculos baseiam-se:

No músculo em que ocorreu a hemorragia

Geralmente, os músculos que requerem reabilitação são os músculos que permitem fletir os pulsos e os dedos dos pés, o músculo gastrocnémio (na barriga da perna), os músculos que permitem fletir a anca (músculo psoas-ilíaco), o músculo quadricípite e os músculos extensores da anca.

Na função do músculo

O efeito da hemorragia difere consoante a função do músculo afetado. Os músculos estabilizadores são mais resistentes; localizam-se em profundidade e sustentam as articulações. Os músculos motores são responsáveis pelo movimento e cansam-se mais rapidamente. A fisioterapia procura fortalecer o músculo ou restabelecer a sua dimensão e comprimento, de forma a torná-lo novamente funcional.

Além disso, o plano de fisioterapia poderá ser progressivo, apresentando vários níveis de dificuldade que permitem fortalecer e restabelecer a articulação ou o músculo afetado. O tipo de exercício também varia, ao longo do tempo, consoante as necessidades em mudança do indivíduo.

Por estes motivos, é importante que o plano de exercícios seja desenhado e implementado por um profissional especialmente qualificado do Centro de Hemofilia, e que os exercícios sejam selecionados caso a caso.

Calendário do plano de exercícios personalizado para pessoas com hemofilia

Não é possível responder às necessidades de todas as pessoas com hemofilia mediante um só plano de exercícios. Lembre-se de que cada caso é um caso. O número de exercícios e de repetições depende da idade e da condição física da pessoa, do tempo decorrido desde a lesão e, naturalmente, do tipo de articulação ou músculo afetado. Exercícios errados, mal feitos, feitos na altura errada (ex.: muito precocemente após a hemorragia, ou na etapa de recuperação) ou na frequência ou intensidade errada, poderão prejudicar ainda mais o tecido afetado.

O calendário do plano de exercícios de fisioterapia personalizado é uma ferramenta útil que permite assegurar que todos os parâmetros necessários ao desenho do plano são tidos em consideração. É um registo dinâmico, feito ao longo do tempo, dos exercícios realizados para restabelecer uma articulação ou um músculo após um episódio hemorrágico. Uma vez que as necessidades de reabilitação das articulações e dos músculos vão variando ao longo do tempo, este ficheiro é representativo da tolerância da articulação às alterações dos níveis de dificuldade e do número de repetições. Este calendário é estabelecido pelo fisioterapeuta, em conjunto com o doente e o respetivo médico.

Referências:

1. WFH Guidelines for the Management of Hemophilia, 3rd edition. 2020. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/hae.14046. [Consultado a 24 de setembro de 2020].

2.Exercises for people with hemophilia by Kathy Mulder. WFH 2006. Available at: https://elearning.wfh.org/resource/exercises-for-people-with-hemophilia/

3. Srivastava A et al., WFH Guidelines for the Management of Hemophilia, 3rd edition. Haemophilia. 2020 Aug;26 Suppl 6:1-158. doi: 10.1111/hae.14046. 4. Exercises for people with hemophilia by Kathy Mulder. WFH 2006. Available at: https://elearning.wfh.org/resource/exercises-for-people-with-hemophilia/