Prevenir a transmissão de doenças infeciosas

A emergência da COVID-19 rapidamente colocou o diagnóstico na linha da frente das discussões sobre os cuidados de saúde. Uma das principais estratégias para reduzir a transmissão de doenças infeciosas é travar, de forma precoce, a propagação silenciosa da doença. Na Primavera de 2020, profissionais de saúde, líderes e governos juntaram-se para rapidamente colaborarem em estratégias tendo em vista a minimização da transmissão do SARS-CoV-2 e a segurança das pessoas..

A propagação das infeções pelo SARS-CoV-2 por pessoas assintomáticas é um dos fatores que contribui para a transmissão contínua da COVID-19. Um estudo realizado pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos estimou que a transmissão da COVID-19 por pessoas sem sintomas é responsável por mais de metade de todos os casos de infeção1.

Com a utilização de testes de diagnóstico altamente sensíveis, a capacidade de detetar o SARS-CoV-2 de forma rápida, precisa e fiável em adultos e crianças potencialmente expostos pode ajudar a evitar a propagação da doença. As duas tecnologias utilizadas para a deteção do SARS-CoV-2: a PCR em tempo real e a deteção rápida de antigénios. É importante compreender quais os testes mais adequados a utilizar, dependendo da sua finalidade. Ambas as tecnologias disponibilizam informações importantes em diferentes situações.

O desenvolvimento acelerado de soluções de diagnóstico menos invasivas também permitiu que o teste possa ser realizado em casa, o que ajudou a expandir as capacidades de testagem. Através da redução do contacto físico, este método permite diminuir o risco de exposição ao vírus para profissionais de saúde, comunidades, familiares e amigos.

O desenvolvimento de testes de diagnóstico altamente sensíveis para doenças infeciosas, incluindo para pessoas em risco de exposição, mas que não apresentam sintomas, pode ajudar a manter a população em segurança e garantir que o tratamento adequado - se existir - seja prescrito. Por outro lado, o diagnóstico de infeções com base apenas na apresentação de sinais e sintomas clínicos pode resultar na prescrição inadequada de antibióticos2. Portanto, testes de diagnóstico capazes de gerar resultados fiáveis de forma simples, podem permitir decisões mais rápidas sobre as necessidades de tratamento.

Referências

  1. Johansson MA, Quandelacy TM, Kada S, et al. SARS-CoV-2 Transmission From People Without COVID-19 Symptoms. JAMA Netw Open. 2021;4(1):e2035057. 2021 Jan 4. doi:10.1001/jamanetworkopen.2020.35057
  2. https://www.who.int/antimicrobial-resistance/LSHTM-Antibiotic-Prescribing-LMIC-Prescribing-and-Dispensing-2017.pdf