A informação como arma de luta contra o cancro

 

Os portugueses consideram-se bem informados sobre a área do cancro, mas reconhecem que gostariam ou precisariam de receber ainda mais informação. Sobretudo na área da prevenção.

Um estudo à população promovido em finais de 2020 pela Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma) mostra que os portugueses querem saber mais sobre cancro.

Cerca de 40% dos inquiridos afirma sentir-se muito informado em relação às doenças oncológicas, um valor que sobe para os 68% entre os doentes com cancro.

Mas nem sempre a informação se traduz de imediato em conhecimento. E os portugueses admitem que gostariam de receber ainda mais informação, nomeadamente sobre a prevenção, a área eleita como prioritária. Segue-se a necessidade de informação sobre sintomas e sobre tratamentos disponíveis.

Entre os inquiridos no estudo elaborado pela GFK/Metris, apenas 20% entende que não necessita de mais informação sobre o cancro.

A análise mostrou ainda que o cancro é a doença que mais preocupa os portugueses

Taxas de mortalidade elevadas e familiares com doença oncológica são as duas razões mais apontadas para justificar essa preocupação.

O estudo promovido pela Apifarma pode ser consultado na íntegra aqui .